Deserções nas Farc por conta do tráfico

autor Misto Brasília

Postado em 05/02/2017 17:08:32 - 17:01:00


Guerrilheiros em formação na Colômbia/Arquivo/ForçaTerrestre

Pelo menos 300 guerrilheiros se recusam a se entregar para ficar com ações ilegais

O processo de paz em desenvolvimento na Colômbia está enfrentando 5% de dissidência de combatentes das Farc, que veem mais incentivo no narcotráfico e na mineração ilegal do que em deixar as armas, disse o comandante do Exército, prometendo uma luta dura contra esses grupos.

Com seu traje militar camuflado e entre as montanhas do nordeste colombiano, o comandante do Exército, general Alberto José Mejía, revelou em uma entrevista à Reuters que calcula-se que 300 homens não estão acompanhando o acordo de paz assinado em novembro para acabar com 52 anos de conflito.

“As Farc apresentaram e reconheceram algumas dissidências. No Bloco Oriental as frentes 1ª, 7ª, 44 e Acacio Medina, e no Bloco Sul as frentes 14 e 64. Isto é o que sabemos até o momento e correspondem a 5% das Farc, aproximadamente 300 homens”, disse Mejía.

Este é o primeiro número oficial que se conhece sobre as deserções das Farc, no momento que termina a concentração de cerca de 6 mil combatentes, em cumprimento ao acordo de paz para deixarem as armas e desmobilizarem-se, cerca de 1 mil a menos do que os membros da guerrilha estimavam.

Do povoado de Saiza saíram dezenas de guerrilheiros para concentrarem-se, mas as dissidências das Farc, a guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) e grupos criminosos buscam ocupar as regiões vazias para controlar o narcotráfico e a mineração ilegal, enfatizou.


AO VIVO TV Euronews
AO VIVO TV NBR
veja +
Ibaneis disse que ficou triste com investigações contra médicos de hospital
Projeto reforça garantia de liberdade de expressão em escolas e universidades
Telefônicas podem ser obrigadas a atender todos os distritos em quatro anos
veja +