Em que mundo estamos? Uma reflexão

autor Misto Brasília

Postado em 27/04/2018 06:53:34 - 06:41:00


A vida exige mais simplicidade e um café com pão é tudo o que muita gente quer/Arquivo/Divulgação

Sequer conseguimos atender o princípio básico que deveria ser natural, que é o de acolher o próximo

Texto de Renato Candemil

A velocidade da informação é preciosa. As redes sociais são preciosas. Tudo está ao nosso alcance num “piscar de olhos” e nada escapa. A mecanização dos robôs eletrônicos, a internet, a mídia digital nos mais diversos formatos e interesses, enfim, a modernidade nos atingiu. Somos seres evoluídos. Será?

Acordei cedo, antes das seis horas da manhã, corre-corre, internet, jornais, notícias das mais diversas, política, esportes, uma olhadinha no noticiário do tempo, nada de chuva, então, caio na estrada, viagem programada, vários compromissos.

Retorno próximo das 16 horas, ainda no corre-corre, lembrei que sequer havia almoçado.

Resolvi parar em uma cafeteria, de esquina, trânsito movimentado. Peço um café com leite e um sanduiche, e em sequência, busco uma pequena mesa na calçada para enfim relaxar e descansar um pouco.

De repente, uma senhora na casa dos seus 60, talvez 65 anos se aproxima e pedindo licença e desculpas por interromper meu momento, com toda a educação, pergunta se eu não posso lhe servir um café com pão, eis que estava desde o período da manhã sem comer qualquer coisa.

Foi como se eu estivesse recebendo um enorme golpe na cabeça. Olhei para aquela senhora e percebi seu vestuário, um vestido com estampa florida, bastante surrado pelo tempo. Seus olhos denunciavam com extrema clareza todo o seu sofrimento diário. Disse-lhe para entrar e escolher o que quisesse e que avisasse o atendente para incluir a despesa em minha comanda.

Alguns minutos se passaram e durante esse precioso tempo, comecei a refletir. Onde estamos? Em que mundo estamos? Temos tudo ao nosso alcance, mas ao mesmo tempo não temos nada. Sequer conseguimos atender o princípio básico que deveria ser natural, que é o de acolher o próximo.

Passados esses minutos, aquela senhora sai da cafeteria, com um copo de café com leite e um pão com queijo. Ainda com meus pensamentos desalinhados, pergunto se era somente aquilo que ela queria. E a resposta vem do coração: É o que me basta senhor, um copo de café e um pão.

Simples assim.

Aí, volto a perguntar? Em que mundo estamos?

Para alguns, não basta um emprego, uma renda mensal de vinte ou trinta mil reais. Não basta viajar e conhecer o mundo todo, não basta se corromper em busca do poder, pois nada irá satisfazer a sua saciedade. Para outros, um simples copo de café com leite e um pão, já basta.

Saí dali me perguntando, onde vamos chegar? Inevitável refletir.

Chorei, pois fiquei a imaginar onde será o “fundo do poço”.

Que a espiritualidade ilumine nossos caminhos e que possamos todos nós, refletirmos sobre qual mundo queremos e pretendemos. O que podemos fazer para individualmente contribuir com nossas atitudes para um mundo melhor, pelo menos com um pouco mais de bondade e caridade para com o próximo.

O que vamos fazer para mudar essa realidade tão cruel que nos assola hoje. Boa reflexão.     

(Renato Candemil é advogado e escritor, autor de “Uma Jornada em Busca da Verdade Espiritual”)


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
Comissão aprova isenção de IPVA a ex-proprietário de veículo
Excesso de peso em bagagens no transporte aéreo pode ter novas regras
veja +